+1 para TRUE20

Pois bem um dos meus defeitos/qualidades como jogador e mestre é estar sempre procurando testar novas opções.

Recentemente graças a uma metade de tradução do SRD do TRUE20 e ao Mutantes e Malfeitores, resolvi usar o TRUE20 como sistema base para uma campanha de Ravenloft.

Porque o TRUE20? Primeiro porque queria algo que fosse familiar ao D20 e D&D, pois facilitaria a conversão e assimilação dos jogadores; Porque gosto de algumas mecanicas do D20 que foram bem trabalhadas e/ou Melhoradas no TRUE20, como por exemplo os pontos de convicção, os Desafios, as pericias e manobras mais simples;  Criação de Personagens mais simples e com maior flexibilidade de escolhas;

Algumas mecânicas como os testes de Vitalidade/Resistência, poderes/magia com testes de conjuração e fadiga eu julguei mais apropriados para o clima do cenário que queria narrar…

E também por considerar o sistema o que mais facilita a interpretação, uma vez que ele não é necessariamente tão voltado para o combate tático como seu primo mais velho o D20.  Nada de Ataques múltiplos,  resistência a magia, ataques de oportunidades e escambau a 4.

A primeira reação dos jogadores foi reclamar, depois me zuar (Tive que aguentar piadinhas como: “Quer dizer que se eu quiser fazer um Monge não dá? Ah dá? Mas ele esquece como que faz ‘rajada de golpes’?”, mesmo que eles sabiam que eu não aceitaria um monge nesta aventura…), depois continuaram de cara feia e reclamando (Chegaram a dizer que se a 2ª aventura não atendesse as espectativas iriam me pedir para voltar com uma velha campanha)…

Como a 1ª aventura não teve combate, fizemos uma rápida batalha só para testar o sistema em combates, por falha minha em ter relido o sistema de combates dei uma explicação errada que deixou o pessoal com medo do sistema ser muito mortal.

Na 2ª aventura, graças a um ataques de Lobos Atrozes e Lobisomens houve mais combates, os jogadores ficaram meio confusos, mas eu já estava dominando melhor os combates e eles foram surpriendentemente mais rápidos e práticos que seu primo mais velho. Mesmo assim mais da metade do grupo caiu inconsciente devido a letalidade do confronto.

Como tudo não poderia ser perfeito errei de novo por não ler com cuidado o uso de poderes e acabei prejudicando um pouco o Clérigo do Grupo que ficou muito limitado com o uso dos poderes.

Ao final da aventura os jogadores já estavam bem mais familiarizados com as mudanças das regras e ao questioná-los sobre a opinião deles eles disseram que para o tipo de jogo que eu havia proposto o sistema realmente estava melhor que o D20.

Para as próximas aventuras espero também estar mais preparado para conduzir uma mais aventura prática e mais fluida do que foi a segunda.

Sobre Gun Hazard
Um Idiota que insiste em escrever e conversar sobre RPG...

3 Responses to +1 para TRUE20

  1. Eu tenho o True20 mas nunca narrei.

    A reação dos jogadores é bem típica, mas que bom que conseguiu fazer com que eles mudassem a forma de pensar.

  2. Gun Hazard disse:

    Olá Franciolli que bom te rever.

    O bom é que meus jogadores não tem muita opção a não ser me aturar com minhas esquisitices, então eu apelo… Experimento sistemas novos crio minhas variantes, uso eles como cobaias, as vezes dá certo outras não, mas volta e meia voltamos para o arroz com feijão do D&D ou GURPS.

    Acho que o legal é mostrar o que se tem de diferente explicando como funciona e as razões para tentar o algo diferente.

  3. Pingback: Criação de personagens para Campanha de Ravenloft « Masmorras & Dragoes

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: