Vinda da escuridão – parte 3.

III

Joseph acordara suado, leva a mão ao abdômen ainda com uma forte impressão do pesadelo. O chamado do Sr. Welson, avisando que a casa dos Lambert estava em chamas foi idêntico ao que ocorreu no sonho. Aquela sensação de “déjá vu” era incomoda, até porque se o sonho se tornasse real esse seria o seu último dia de vida.

Chegando até a mansão dos Lambert, os vestígios do incêndio eram ainda piores do que o sonho, o cheiro da carne queimada podia ser sentido mesmo no distante portão de acesso à propriedade. O xerife desmonta de seu cavalo e se encaminha até uma pequena aglomeração de pessoas que aparentemente lutaram contra o fogo.

“Mas como? É idêntico ao meu sonho desta noite.” – ele pensa enquanto caminha pelo o que foi um dia um belo jardim, se recordando do sonho.

– Xerife. – chama-o um de seus auxiliares quebrando o transe no qual se encontrava. – O Sr. Welson já nos informou que o quando chegou o fogo já era forte ele e os outros vizinhos ainda tentaram conter as chamas, mas ventava a noite e não conseguiram. As chamas acabaram por queimar a casa e a sela dos escravos.

O homem faz uma pausa, engole em seco, e continua:

– Senhor, eu gostaria que visse uma coisa. Dentro da casa. Assim que cheguei entrei para procurar alguma pessoa viva… Bem, vou mostrar ao senhor.

Os dois homens então entraram pela porta da frente da casa acessando o que foi um dia a grande sala de estar onde os visitantes eram amistosamente recebidos. Dentro vários corpos queimados formavam uma pilha disforme, sendo impossível distinguir quem eram realmente. O odor era insuportável. Eles seguem em direção a sala de jantar, Joseph temia por essa hora tanto que suas mãos começavam a suar.

Quando eles passam pela cozinha uma surpresa nenhuma parte dela fora atingida pelo incêndio, mas a família Lambert jazia ao chão todos degolados.

Após se recuperar do choque de ver tamanha brutalidade, Joseph atentamente analisa a posição dos corpos. O corpo de Michael parecia apontar numa direção.

– Então xerife, eu não falei que era estranho?

– Realmente Willian, realmente. Agora vá lá fora e pegue mais informações com os vizinhos tente descobrir se eles viram alguma briga algum forasteiro ou algo de estranho acontecendo.

– Sim senhor. – responde já se virando para sair.

– Ah Wil! – o homem olha para trás. – Não se afaste muito.

Quando reparou que estava sozinho na sala de jantar, Joseph verifica a parte de baixo da mesa procurando alguma coisa, mas não encontra nada. Ele então se vira para a direção que era indicada pelo corpo de Michael, ele apontava para uma janela que dava vista para a floresta das irmãs Carter.

– Eu acho que entendi velho amigo, o que tentou me dizer. – diz Joseph olhando para o corpo de Michael Lambert.

Dali então Joseph segue sozinho, a cavalo, para o chalé das irmãs Carter.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: